trabalho em equipe

04-09-2020

Trabalho em Equipe: 7 dicas para trabalho presencial e remoto

Encontre dicas para um trabalho em equipe efetivo, produtivo e sem conflitos.

 

 

Imagine que você vai escrever um post sobre “trabalho em equipe”.

Ok?

Se você precisasse escolher uma imagem para ilustrar a capa do seu conteúdo, como ela seria?

 

Vamos tentar adivinhar.

 

Muito provavelmente, você escolheria a foto de uma equipe com aparência motivada em uma sala de reuniões. Ou, de dois profissionais conversando em frente ao computador. Não é?

 

Bom, se a gente tivesse feito esta pergunta antes de 2020, a resposta muito provavelmente seria algo bem parecido.

Mas, no mundo pós coronavírus, onde o trabalho remoto ganhou nova relevância, por vezes, um time precisa trabalhar “unido” mesmo a quilômetros de distância.

Ou seja: muita coisa mudou. Novos cuidados e atitudes são necessários visando um trabalho em equipe efetivo e em harmonia.

No post de hoje coletamos dicas relacionadas ao trabalho em equipe, mas repaginadas para este contexto em que a distância entre colegas varia de poucos metros para muitos quilômetros.

 

 

 


7 dicas para potencializar o trabalho em equipe nos novos tempos

 

Uma equipe é formada por duas ou mais pessoas que trabalham unidas para realizar uma tarefa com sucesso.

A grande questão agora se encontra em como estas pessoas estarão trabalhando unidas: virtualmente ou presencialmente?

A resposta para esta pergunta influencia e muito nos cuidados para um bom trabalho em equipe.

E, principalmente no caso do trabalho remoto, as particularidades vão variar ainda mais dentro de cada em presa.

A seguir listamos sete dicas que acreditamos fazer parte de ambos os cenários. Mas é importante fazer uma análise profunda do seu caso em específico, e avaliar o que é verdade para a sua empresa ou não.

Talvez as sete dicas sejam perfeitas para você. Talvez menos. Mas o ideal é que elas sirvam de inspiração para que você consiga criar suas próprias “dicas” e aplicá-las com cuidado em sua empresa.

Vamos lá?

 

 

 


Liderança engajada

 

Como acontece na gestão horizontal, nem todas as equipes possuem a figura de um líder. Pelo menos não utilizando aquele conceito clássico de hierarquia, onde uma única pessoa é responsável pela tomada de decisão.

Mas, verdade seja dita, o modelo tradicional ainda representa a grande maioria dos casos. E, neste sentido, a figura do líder é extremamente importante para o sucesso do todo em executar uma tarefa com sucesso.

Acontece que independe do formato utilizado, já é (quase) consenso que a presença do líder deve ser de alguém que mostra o caminho na prática, “pegando junto”, assumindo a responsabilidade e deixando o time brilhar.

Sem estrelismo e nem negligência.

Principalmente quando estamos falando de um projeto, ou uma tarefa que realmente será executada em equipe. Onde o trabalho de um não faz sentido sem o outro.

Se os líderes não estiverem engajados, cedo ou tarde o resto do time também não estará.

 

Sobre liderança, recomendamos este dois artigos:

“O que é ter presença executiva e como melhorá-la?”

“Como ser um bom líder: engajando equipes sem usar táticas de motivação”

E mais este TEDx Talks de Alexandre Monteiro, com o título

Não basta ser líder, é preciso parecer

 

 

 


Confiança na equipe

 

Embora esta dica seja mais relacionada às lideranças, vale para todo mundo.

Você já ouviu falar em microgerenciamento?

Este assunto já era pauta (negativa) mesmo antes do trabalho remoto forçado pela pandemia.

Explicando de uma maneira rápida, trata-se de um controle excessivo, nos mínimos detalhes, onde líderes analisam e monitoram tudo o que é feito pelos membros do time.

Mesmo que o líder em questão tenha uma boa intenção, a prática se revela extremamente contraproducente. Gera burocracia, atrasos, e principalmente, uma desmotivação por parte da equipe, que sente que não existe uma confiança no seu trabalho.

E é bem este o ponto. Não existem equipes altamente produtivas onde as pessoas não demonstrem confiança uma nas outras.

E isso vale tanto na relação líder x liderado, quanto no que diz respeito ao próprio time.

É importante que laços de confiança sejam incentivados (o próximo tópico contribui para isso) através da conversa.

Afinal, se existe uma dificuldade, é de interesse de todos que ela seja resolvida.

 

Para que isso aconteça de maneira harmônica, aqui fica uma dica de leitura:

O que é Comunicação Não Violenta e Como Aplicá-la na Sua Empresa

 

 

 


Daily Meeting

 

O Dailly Meeting é uma prática muito comum nas empresas que adotam metodologias ágeis de trabalho.

Em resumo, trata-se de uma reunião diária de 15 minutos, normalmente realizada em pé, onde cada membro do time precisa responder a três perguntas:

 

  • O que eu fiz desde a última reunião
  • O que vou fazer hoje
  • Quais são os impedimentos que estão me atrapalhando de realizar o meu trabalho

 

Ao contrário do que acontece com o microgerenciamento, esta prática serve justamente para expor as dificuldades de maneira rápida e objetiva, para que o time consiga resolvê-las em conjunto, evitando perdas de tempo desnecessárias e criando um senso de equipe muito maior.

 

Recomendamos estas duas leituras:

Conheça a importância de daily meeting nos métodos ágeis

Metodologias ágeis: o que são e quais os principais tipos

 

 

 


Organização e troca de informações

 

A troca e organização de informações é outro detalhe que contribui e muito para a produtividade da equipe.

Em pequenas empresas, algumas vezes o problema pode ser até maior, visto que muitas não podem contar com os mesmos softwares de gerenciamento utilizados por grandes empresas, e muito menos possuem uma equipe de TI dedicada à isso.

Neste sentido, o uso do kanban é sempre interessante. Podendo ser utilizado tanto em um quadro como em ferramentas como o Trello.

O armazenamento no Google, e utilização de suas ferramentas de trabalho, também se mostram super úteis. Facilita na organização e todo mundo pode ter acesso aos documentos.

 

Vamos deixar quatro artigos que podem te ajudar:

Kanban: O que é e TUDO sobre como gerenciar fluxos de trabalho

Organização e produtividade com ferramentas do Google

Como usar o Google Agenda como ferramenta de Gerenciamento de Projetos

5 apps que vão te ajudar no gerenciamento de tarefas e otimização de tempo

 

 

 


Trabalhe por metas

 

A definição de metas está diretamente ligada à produtividade da equipe.

Primeiro, porque funciona como uma motivação extra. E nem estamos falando sobre recompensas. A meta por si só, quando justa e bem definida, já é capaz de engajar o time a atingir o objetivo.

Segundo, porque as metas ajudam a quantificar o trabalho e facilitam o gerenciamento.

A meta foi batida? Quantas essa semana?

Se tudo estiver bem, ótimo. Se não, você pode buscar entender os motivos.

E aqui só um parênteses: uma meta não batida nem sempre está ligada à produtividade (talvez assim seja em boa parte das vezes). As razões por trás disso podem estar em questões burocráticas, ou rotineiras. Descobri-las já um grande avanço para o bom andamento do trabalho em equipe.

 

Aqui deixamos alguns links que podem te ajudar no trabalho com metas.

Passo a passo de como definir metas alcançáveis ainda hoje

Alinhe sua gestão do tempo com suas metas

Motivação no trabalho: o que fazer e o que evitar

 

 

 


Divisão de tarefas

 

Existem dois tópicos dentro deste assunto.

O primeiro, é em relação às individualidades.

Nem todas as pessoas (líderes inclusos), sabem lidar com a delegação de tarefas. Não estamos falando de autoridade, mas sim de preciosismo, ou, como falamos antes, falta de confiança.

Neste sentido, as vezes podemos observar membros de um time tentando absorver mais do que podem ou deveriam, puramente porque acreditam que somente eles serão capazes de fazer aquilo com sucesso.

Em alguns casos, essa pessoa pode ter até mesmo um apego por alguma tarefa, e “não quer largar o osso”.

Enfim, seja lá qual for a razão por trás disso, é muito importante usar inteligência, estratégia e desapego para distribuir tarefas.

E este é justamente o segundo ponto deste tópico: a gestão por competências.

A prática consiste em considerar as competências técnicas E comportamentais de uma pessoa para distribuir tarefas. Ou seja, cada um faz aquilo que em que é naturalmente melhor.

Alguns tipos de trabalho exigem um perfil orientado para o resultado, já outros exigem um perfil analítico, flexível ou receptivo.

Enfim, entender o que cada um tem de melhor a oferecer é o caminho para que a distribuição de tarefas seja realizada com sucesso.

 

Aqui temos alguns artigos que podem te interessar.

Por que realizar uma Gestão por Competências?

Autogerenciamento: aprenda como gerenciar a si mesmo

 

 


Alinhamento de propósito

 

O que propósito tem a ver com trabalho em equipe?

Dizer “tudo”, seria um exagero.

Mas não é nenhuma mentira que equipes alinhadas com o mesmo propósito da empresa são mais motivadas a cumprir os objetivos estipulados.

Quando um colaborador acredita no que faz, quando sente que seu trabalho faz a diferença para a empresa, para o cliente, e ainda está alinhado com seus próprios princípios, é inegável os ganhos relacionados à motivação e engajamento.

O que contribui não só para os resultados, mas também para a redução do turnover nas empresas.

 

Quer entender como isso funciona na prática? Deixamos três artigos que você pode gostar:

O que é o propósito – respostas para pessoas e empresas

Propósito: o “como” e “por que” que impactam sua empresa, carreira e vida

A sua empresa tem um propósito? Pois deveria…

 

 

Gostou do nosso artigo?

A preocupação em melhorar o trabalho em equipe pode fazer toda a diferença na rotina da sua empresa.

Acesse o Benefi e encontre as melhores dicas sobre Gestão de Pessoas e Recursos Humanos.