recrutamento interno

21-05-2021

Recrutamento Interno como chave para motivação dos colaboradores

Neste post você vai aprender o que é recrutamento interno, quais as vantagens e como aplicar na sua empresa.

 

Uma vaga nova tem aquele ar de gente de fora chegando na sua equipe. Mas nem sempre isso precisa ser assim.

Afinal, o recrutamento interno é uma estratégia utilizada pelas empresas que pode funcionar como uma motivação para os colaboradores, principalmente entre as gerações mais novas.

Neste Guia Rápido do RH você vai aprender:

  • O que é recrutamento interno
  • Os modelos de recrutamento interno
  • Vantagens
  • Desvantagens
  • Dicas de aplicação

 

Vamos lá?

 

O que é Recrutamento Interno:

 

Como o próprio termo já indica, recrutamento interno significa possibilitar que os colaboradores de uma empresa participem do processo seletivo de vagas diferentes das que eles ocupam no momento.

Quando falamos isso, não estamos falando apenas de promoção. Mas também em transferência de setores. Como, por exemplo, um colaborador da área de produto que possui as skills técnicas, habilidades comportamentais e deseja direcionar sua carreira para a área de vendas.

Um ponto importante, é que o recrutamento interno é diferente do recrutamento misto, que abre portas para pessoas de fora e para os colaboradores ao mesmo tempo. O recrutamento interno é focado exclusivamente no quadro de pessoas atual.

 

Tipos de recrutamento interno

 

Basicamente, podemos dividir o recrutamento interno em 4 categorias.

São elas:

 

Promoções:

O processo mais óbvio e frequente, quando um colaborador é promovido a um cargo mais elevado.

 

Recrutamento informal:

Quando o recrutamento interno ocorre sem muitas regras, ou divulgações. Os processos ocorrem por indicações entre setores, de uma maneira informal mesmo, como o próprio nome já diz.

 

Abertura de Vaga:

Aqui é um processo seletivo mais clássico, que pode funcionar até mesmo como um programa especial dentro da empresa. Existe um processo de abertura e divulgação da vaga internamente.

Todos os colaboradores ficam sabendo da oportunidade e podem se candidatar.

 

Transferências:

Quando um funcionário troca de setor, equipe ou departamento. Pode ser uma decisão estratégica da própria empresa, ou mesmo uma possibilidade já prevista dentro do plano de carreira.

 

Quais as vantagens do recrutamento interno:

 

Para quem gosta de vídeo, achamos bem interessante esta aula no canal da Carmen Vera. Em sua palestra ela mostra as vantagens do recrutamento interno, ao mesmo tempo em que mostra com exemplos claros como este processo pode se mostrar um tiro no pé caso não seja bem planejado.

 

 

Achamos legal reforçar este outro lado, pois muitas vezes os conceitos de RH são passados de maneira quase fantasiosa. Como se tudo fosse fácil e simples.

Dito isto, seguimos com as vantagens 🙂

 

O recrutamento interno pode ser um diferencial para as novas gerações

As novas gerações, como falamos neste artigo, não encaram o trabalho da mesma maneira que a geração X, por exemplo. A mudança é muito mais bem aceita e, ainda mais do que isso, a simples liberdade de poder mudar. Portanto, o recrutamento interno pode ser um bom motivador para este grupo de colaboradores que vêm dominando os setores das empresas.

 

Mas não só para eles: este pode ser um diferencial para todos

Não vamos restringir o benefício da motivação apenas para millennials e zoomers. O simples fato de possibilitar uma mudança para um cargo que tenha mais a ver com o perfil do colaborador, ou até mesmo que pague mais, é um indicador de que a empresa valoriza quem faz parte dela.

Claro, desde que você tome alguns cuidados. Falaremos sobre isso logo adiante.

 

Retenção de talentos

A própria motivação apontada nos tópicos anteriores faz parte da lógica por trás da contribuição para a retenção de talentos. Mas considerando que um colaborador seja CORRETAMENTE transferido, por exemplo, também podemos considerar que ele continuará por mais tempo na empresa. Nunca é demais reforçar a palavra que colocamos em caixa alta.

 

Assertividade

Como falamos neste artigo, o Fit Cultural é uma das principais garantias de assertividade na contratação. A pessoa que já está na sua empresa, e tem interesse de mudar de setor dentro dela, tem boas chances já cumprir este requisito. Mas lembre-se: avaliar o perfil comportamental também se mostra importante ao mover colaboradores entre setores ou mesmo equipes.

 

Desvantagens

Como apontado no vídeo mais acima, recrutamento interno não é só flores. Basta pensar: uma pessoa mudou de uma vaga para outra, quem vai ocupar o seu lugar?

E mais, como lidar com a possível desmotivação do colaborador que não foi aceito em um processo interno? E como fica o relacionamento desta pessoa com a chefia atual?

Estes são alguns dos fatores que você pode e deve levar em consideração antes de aplicar o processo interno.

As próximas dicas vão te ajudar a realizar este processo da maneira mais assertiva possível.

 

Como realizar um processo de recrutamento interno na sua empresa:

 

Não existe um passo a passo, cada empresa trabalha da forma que bem entender.

Porém, aqui estão algumas preocupações que sua empresa deve levar em conta na hora de estruturar o recrutamento.

 

1 – Defina seus critérios:

Vai ser recrutamento interno ou misto? O colaborador pode se candidatar livremente? Ou precisa pedir autorização pro gestor?

 

2 – Defina as características da vaga:

Quais são as hard skills e soft skills necessárias para a vaga? Ter isso em mente é fundamental para aumentar a assertividade no processo.

 

3 – Divulgue internamente

Caso você opte por uma abertura de vaga mais formal, divulgue isso internamente. Isso pode ser feito através de um portal de vagas, ou mesmo através da boa e velha comunicação interna.

 

4 – Prepare as lideranças

É preciso ficar atento aos líderes. Nem todos vão reagir bem a este processo. Mas uma vez que seja implementado na sua empresa, é necessário buscar uma transparência. Definir se (ou quando) o gestor pode vetar uma transferência, e mostrar que a mudança é positiva para todos.

Afinal, melhor possibilitar que o colaborador siga o rumo que ele quiser, do que deixar ele preso em um lugar que não é onde ele gostaria de estar.

 

5 – Atenção especial aos candidatos não selecionados

Quando não somos selecionados para uma vaga, sempre existe aquela desmotivação. O mesmo, e talvez até pior, aconteça quando esta oportunidade foi perdida na empresa que a gente já trabalha.

Neste sentido, é bom deixar claro já no processo seletivo o que é esperado para a vaga em questão. Quais são as habilidades técnicas e comportamentais desejadas, quais os pré-requisitos, enfim.

Outra possibilidade é conversar com o colaborador e mostrar o que ele precisa desenvolver para ter mais sorte nas vagas do setor desejado.

 

E aí, gostou das nossas dicas?

O Recrutamento Interno é uma solução muito interessante para motivar os colaboradores. Mas deve ser implementado com planejamento e transparência.

Separamos aqui outros artigos que podem te ajudar neste caminho:

Guia Completo do Processo Seletivo para o RH

Como fazer uma entrevista de emprego: dicas para o RH

Recrutamento inteligente: como usar tecnologia para otimizar seu recrutamento

 

O que achou das nossas dicas? Conte pra gente em nosso Instagram!

Para manter sempre atualizado e acompanhando as novidades sobre RH e Gestão de Pessoas, continue acessando o Benefi.