Plano de carreira o Que é

13-01-2020

O que é Plano de Carreira e como aplicar visando resultados

Empresas e pessoas buscam um plano de carreira visando o crescimento no mercado e profissionalmente. Neste post, iremos abordar o tema na visão dos gestores: o que é, os tipos de plano e como aplicar.

 

Um dos maiores desafios no mercado de trabalho atual, independente do tamanho da empresa, é a retenção de talentos. Não por menos: calcula-se que os prejuízos com turnover chegam a custar R$ 14.000,00 por funcionário. Sem contar o tempo investido na contratação e treinamento de novos integrantes em um time. Empresas que já se dão conta disso, buscam de alguma forma desenvolver planos de carreira que sejam capazes não só de manter, mas também de atrair profissionais qualificados.

Você também está cogitando essa ideia? Provavelmente sim, do contrário, nem teria clicado neste artigo. Mas mesmo que não seja o caso, lendo este post você vai entender a importância de apresentar um plano de carreira, independente do tamanho, setor, ou fase de maturação da sua empresa.

 

O que é um plano de carreira?

 

O plano de carreira é uma estratégia utilizada por profissional e empresas, visando o desenvolvimento de ambos, no mercado e na carreira, dentro de uma corporação. Sua importância, como já falamos anteriormente, está diretamente ligada à atração e retenção de talentos. Mas ela vai além, pois evita mal entendidos, motiva pessoas a atingir resultados, e pode ser o início da construção de um RH atuante, capaz de se mostrar como um diferencial para o crescimento dos seus resultados.

É comum vermos o plano de carreira como um instrumento exclusivo para grandes empresas. A verdade é que ele pode e deve ser utilizado por qualquer companhia que visa o crescimento. Porém, com um pequeno cuidado que vamos informar no próximo capítulo.

 

O que saber antes de estudar e planejar um Plano de Carreira:

 

Existe uma grande pegadinha presente em diversas etapas de nossas vidas, tanto pessoal como profissional: a de achar que um padrão é capaz de se enquadrar em todo os tipos de cenários. E nunca é bem assim.

Por que estamos falando isso? Porque neste post vamos te apresentar alguns tipos de planos de carreira, bem distintos um dos outros, com algumas dicas de aplicação. É de extrema importância você ter ciência que, mesmo que o conteúdo se apresente “empacotado”, dentro cada um destas categorias pode ter uma ideia que se enquadrar ao seu caso.

O mercado de trabalho atual está em constante evolução e transformação. Nunca paramos de aprender. Portanto, evite enxergar um plano de carreira com uma visão mercadologicamente antiga, principalmente se você trabalha em uma startup ou empresas disruptivas. Ele pode evoluir sempre, acompanhando as mudanças de comportamento dos profissionais

 

Tipos de plano de carreira:

 

Existem diversas tipos de plano de carreira. Afinal, muitas empresas acabam por desenvolver o seu. Mas existem cinco formatos que são os mais conhecidos.

 

Plano em Linha

Talvez este seja o modelo mais tradicional entre os planos apresentados neste post. É aquele onde as carreiras evoluem sempre em uma mesma direção, sem muitas variações. Muito comum no setor público ou em corporações extremamente tradicionais. As promoções são estabelecidas por tempo de empresa, e o profissional não tem muitas oportunidades para mudar de cargo ou setor.

 

Plano em Y

Não, não tem nada a ver com Millennials, ou com gerações. Neste caso, a nomenclatura surge do próprio formato da letra, que se ramifica na sua ponta superior. É como se fosse uma metáfora do caminho de um profissional na empresa: chega o momento em que é necessário tomar uma decisão entre essas duas possibilidades, “quero me tornar um especialista ou gestor?”

Este modelo de gestão oferece a oportunidade de crescimento para profissionais que não querem se tornar líderes, e preferem aprender o máximo possível sobre determinado segmento (o que contribui e muito para a retenção de talentos). Em muitos segmentos a presença especialistas é fundamental para o desenvolvimento e melhorias de produtos e serviços.

 

Plano em W

O plano em W é semelhante ao em Y. Tanto pela analogia com o formato da letra, quanto à necessidade de uma escolha. Neste caso são três: além da especialização e da gestão, o profissional pode optar por se desenvolver em uma espécie de caminho do meio, que pega um pouco de cada skill.

Este terceiro caminho nada mais é do que a gestão de projetos. Onde o profissional assume certas responsabilidades em determinado projeto,  mas não precisa lidar com preocupações como o desenvolvimento profissional da sua equipe, questões comportamentais, entre outras. Neste cenário, o gestor é um líder técnico que orienta a pauta da equipe, oferece feedbacks pontuais e fica responsável por liderar determinado projeto de “ponta a ponta”.

Para quem está habituado com o mercado de TI ou de Análise de Negócios, um bom exemplo para compreender esta terceira opção é o cargo de Product Owner.

 

Plano de carreira Horizontal

Este método foge um pouco dos padrões, já que não há uma ascensão nos moldes tradicionais. Em um Plano de Carreira Horizontal não existem hierarquias. Os profissionais estão todos no mesmo nível, de certa forma, sem a possibilidade de “subir” para cargos maiores.

Existe, sim, um modelo de evolução e aumento de remuneração. Mas ele se dá através das tarefas e responsabilidades, e do nível de desempenho que o profissional alcança ao longo de sua carreira.

 

Como funciona essa história em startups e empresas de crescimento acelerado?

Neste caso, o ponto que reforçamos anteriormente, de que cada caso é um caso, se torna ainda mais forte. Para compreender isso, é interessante conhecer a definição de startup na visão de Eric Ries, autor do best-seller Startup Enxuta:

Uma startup é uma instituição humana desenhada para criar um novo produto ou serviço em condições de extrema incerteza.

Destacamos a parte da extrema incerteza, porque é exatamente isso que você precisa ter em mente caso esteja planejando criar um Plano de Carreira neste tipo de empresa. E acreditamos que o mesmo vale para uma empresa que esteja começando, mesmo que não nos moldes de uma startup, mas que vise um certo crescimento no quadro de funcionários em um futuro próximo.

A questão é que, tradicionalmente, um Plano de Carreira é muito útil na motivação de pessoas, pois elas entendem melhor suas possibilidades de crescimento em seu emprego. Isso evita falsas expectativas e contribui para um ambiente mais tranquilo, sem conversas paralelas sobre porque fulano foi promovido, ou porque ciclano recebeu um aumento.

Mas como fazer isso se você não tem a certeza de como será o próximo ano? Produtos e serviços podem decolar, ou aterrissar. Novos cargos podem surgir, outros podem se tornar obsoletos. Tudo isso em uma velocidade que não é comum em ambientes tradicionais.

Por isso, desenhar um Plano de Carreira rígido, com tudo estabelecido, pode não ser uma boa ideia, pois pode provocar frustrações. Neste caso, o caminho pode ser usar essa incerteza como motivação: mostrar as possibilidades de crescimento da empresa, o projeto, e convidar o funcionário para crescer junto, e construir junto este ambiente. Assim como valorizar sua equipe interna nos processos seletivos futuros, principalmente em cargos de gestão. Falaremos melhor sobre isso mais adiante.

 

Porque implementar um plano de carreira?

Assim como os formatos, os benefícios de um Plano de Carreira também são bem amplos (e variam conforme o formato). Aqui vamos apontar alguns deles:

  • Aumento da performance, caso você inclua algum incentivo para a qualificação do profissional;
  • Valorização do Employer Branding, ou seja, sua marca empregadora, contribuindo para atração de talentos
  • Redução de Turnover, e, em consequência, dos gastos em contratações e treinamentos
  • Motivação, caso você inclua alguma forma de meta para aumento de cargo ou de salário
  • Alinhamento entre expectativa e realidade, com funcionários cientes das políticas de promoções e remuneração

 

5 passos para implementar um plano de carreira

 

Agora que você já entende as razões de aplicar um plano de carreira, e já tem uma ideia dos tipos e formatos, vamos te sugerir um passo a passo sobre como implementá-lo na sua empresa com sucesso.

 

1- Defina um objetivo para sua empresa:

Você não vai implementar um plano de carreira “só por fazer”, não é? Então o primeiro passo é buscar entender, e colocar no papel, o que você quer com isso.

Defina onde você quer chegar, qual tipo de cultura organizacional deseja implementar, quais características e modelos de plano se enquadram melhor a isso. Além disso, é muito importante criar, e quantificar, metas: aumento na performance, redução de turnover, engajamento, enfim, se existe um objetivo, o transforme em uma meta.

Ainda nesta primeira etapa, o simples exercício de desenhar o organograma da sua empresa como ele é hoje, e no que você quer que ele se transforme, também vai ajudar bastante.

 

2 – Conheça seu público trabalhador

Após saber onde se quer chegar, o segundo passo é definir que perfil de profissional se sentiria engajado no ambiente que você pretende criar. Neste caso, não existe certo e errado. Mas é importante ter em mente que algumas pessoas se enquadram melhor em um modelo mais rígido, rotineiro e tradicional, enquanto outras precisam de flexibilidade, ou de um ambiente criativo, e por aí vai.

 

3 – Procure por diferenciais que se adeque a ambos

A importância destes dois primeiros passos está em oferecer mais embasamento na hora de pensar que tipo de plano, benefícios e incentivos se encaixam melhor tanto com sua empresa, quanto com o perfil de profissionais que você deseja.

Por exemplo, você pode concluir que no seu modelo de negócio, ter estipulado uma política de promoções é fundamental. Ou então se inspirar no modelo em Y e criar incentivos para qualificar seus funcionários como líderes ou especialistas, dependendo da sua decisão. Talvez o trabalho remoto seja um diferencial, ou até mesmo um período sabático após X anos de serviços prestados (sim, tem empresas que fazem isso). A questão é que quanto mais informação nós temos, mais criativos ficamos.

Um dica muito legal é conversar com sua equipe. Busque descobrir junto com eles, quais são seus objetivos na vida e na profissão. Repare no que eles querem e tente transformar sua empresa em meio de viabilizar isso tudo. Mas, neste caso, um cuidado fundamental é alinhar as expectativas dos dois lados (principalmente em startups ou empresas em crescimento): o que o time quer, o que você pode oferecer com certeza, e o que você espera em troca.

 

4 – Qualifique os seus funcionários

Você provavelmente já viu esta frase do Henry Ford em uma postagem no LinkedIn: “Pior do que não treinar os seus colaboradores e eles saírem, é não treiná-los e eles ficarem.”

Este pensamento faz todo sentido ao desenvolver um plano de carreira. Afinal, o melhor meio de atingir os objetivos da sua empresa é qualificar as pessoas que vão desbravar esse caminho. Além disso, se um profissional capacitado deixar sua equipe, terá feito isso por qualquer outro motivo que não o fato de você ter investido no seu treinamento.

E o legal é que hoje em dia é cada vez mais fácil fazer isso. Óbvio, se você tiver a oportunidade, contratar um coaching ou organizar grandes treinamentos será sempre uma boa idéia. Mas existem inúmeros cursos online, com custo bem acessível, que permitem você qualificar o time no desenvolvimento de suas skills. Além disso, esse formato possibilita que você inclua qualificações em questões não necessariamente ligadas à profissão, como controle emocional, planejamento financeiro, entre outras questões que podem contribuir para que eles realizem os seus sonhos dentro da sua empresa.

 

5 – Oportunidades internas

O último passo é dar prioridade para o seus funcionários na abertura de vagas internas. Se ele tem um objetivo, o ajude a conquistar. Neste caso, investir na qualificação é fundamental, mas o mesmo vale para a definição de metas e resultados. O plano tem que ser bom para todos: para os colaboradores, e para a lucratividade da sua empresa também.

 

O que você achou das dicas do Benefi? Está pensando em aplicar um plano de carreira? Contribua com suas experiências e sugestões no comentários!