motivação no trabalho

27-02-2020

Motivação no trabalho: o que fazer e o que evitar

Como cuidar da motivação no trabalho antes que ela se torne um problema na sua empresa. Conheça as principais dicas e cuidados.

 

Sabe aquele velho ditado, “é melhor prevenir do que remediar”? Pois então. A motivação deveria ser encarada desta forma. Afinal, é ela, e não os números, que representa verdadeiramente a saúde de uma empresa.

Os resultados, como o próprio nome já diz, são apenas consequência. E se, assim como um corpo saudável tem mais disposição, uma equipe feliz e engajada apresenta melhor desempenho.

O problema é que o assunto muitas vezes é encarado como efeito, e não causa. Da mesma forma que nos preocupamos com nossa saúde quando ficamos doentes, uma empresa se preocupa com motivação quando tem queda no desempenho.

Neste cenário, surge a grande pergunta: como motivar minha equipe? Bom, você pode gastar um fortuna com coaches (e ter bons resultados), ou tratar o tema com antecedência, buscando entender o seu time e o que os deixa feliz no trabalho.

 

A motivação no trabalho se resume a dinheiro? 

Para responder esta pergunta, precisamos recorrer ao dicionário. Se fizermos isso, vamos descobrir que a motivação é o impulso que faz com que pessoas tomem atitudes para atingir seus objetivos. Sua natureza envolve fenômenos sociais, biológicos e emocionais. Mas o que isso quer dizer na prática?

Significa que a motivação vai além do dinheiro (mesmo que ele esteja presente). Não muito tempo atrás, carreira e estabilidade financeira eram dois grandes fatores motivacionais na força de trabalho. Hoje em dia, entre as novas gerações, assuntos como propósito, realização pessoal e flexibilidade ganham força.

Segundo pesquisa “Millennials in Europe and Brazil”, realizada pelo Grupo Geometry/WPP, a qualidade de vida aparece como item mais desejado para os trabalhadores nascidos entre meados da década de 80 e final dos anos 90.

Mas se o dinheiro não é tudo, como aumentar a produtividade de uma equipe?

 

Pessoas são motivadas por elogios e pizza

Por mais bizarra que possa parecer essa frase, esta foi a divertida conclusão de uma pesquisa realizada por Dan Ariely, professor de psicologia e economia comportamental na Universidade de Duke e no MIT.

Em seu estudo, ele convenceu os gestores de uma fábrica de semicondutores a testarem três estratégias motivacionais: um voucher de pizza, um bônus de 30 dólares em dinheiro, e elogios do chefe. Os funcionários da empresa foram divididos em grupos, e para cada um deles foi oferecido um destes “mimos” em troca de metas alcançadas. Para complementar o estudo, ainda foi estipulado um quarto grupo, para o qual foi estipulado apenas a meta, sem recompensa alguma.

Sabe qual foi o resultado? Após um dia, a pizza se mostrou a recompensa de maior valor motivacional, seguida pelo elogio (que acabou os testes em primeiro lugar). O valor em dinheiro obteve os piores resultados, sendo que no segundo dia de pesquisa chegou a apresentar menos produtividade até mesmo do que o grupo que não recebia recompensa alguma.

Claro que a leitura dos resultados não indica que somos movidos à pizza e elogios. Para a pesquisador, isso mostra que agimos de acordo com escalas de tempo que o dinheiro não é capaz de mensurar. Buscamos motivações duradouras, queremos encontrar um propósito no que fazemos e nos sentir valorizados.

 

A importância da motivação no trabalho

Como falamos no início do texto, podemos interpretar a motivação como a saúde de uma equipe. Um dos meios de defender este argumento é a pesquisa realizada pela Right Management, que, após entrevistar mais de 30 mil pessoas em 15 países diferentes (incluindo o Brasil), concluiu que funcionários motivados são 50% mais produtivos.

Mas, além de aumentar resultados, a motivação ainda evita prejuízos. Reduzir os índices de turnover é um dos principais desafios de gestores e profissionais de RH. Neste caminho, são diversas as pesquisas que direta ou indiretamente ligam a motivação com pedidos de demissão. Em levantamento da CareerBuilder, foi constatado que 50% das pessoas consideram o reconhecimento como um dos principais motivos para continuar em um emprego. O mesmo vale para o propósito, oportunidades de crescimento e horas extras excessivas.

 

O que influencia na motivação de uma pessoa

Uma das maiores lições que podemos aprender com a motivação, é a particularidade de cada pessoa e de cada empresa. Retomando ao exemplo da pizza e dos elogios, o autor da pesquisa defende que uma de suas principais conclusões está no método em si, que prova que as empresas teriam muito a ganhar se testassem diferentes técnicas motivacionais em sua rotina. Desta maneira, é possível encontrar soluções que condizem com a realidade da sua equipe.

Por outro lado, analisando agora o enfoque da “desmotivação”, alguns tópicos são unânimes em sua influência negativa. Vamos apontar alguns:

  • Problemas de relacionamento na equipe
  • Ambiente tóxico
  • Cancelamentos constantes
  • Horas extras intermináveis
  • Metas inalcançáveis
  • Falta de reconhecimento do profissional
  • Relacionamento líder x liderado
  • Falta de fit com a cultura da empresa

 

Como saber se minha equipe está desmotivada

Existe um jeito bem ruim de descobrir que sua equipe está passando por uma fase de desmotivação: redução da produtividade. Mas existe outro pior, quando isto já se reflete em números.

Mas, caso (felizmente) isso ainda não tenha acontecido, alguns outros sinais podem servir de alarme. E isso vale tanto para a análise do todo (equipe), quanto em relação a uma pessoa individualmente. Aqui estão eles:

  • Quando existem conflitos sem solução
  • Quando um colaborador se isola dos demais
  • Atitudes pessimistas
  • Impaciência ao final do expediente
  • Dificuldade em aceitar críticas
  • Desinteresse
  • Queda de rendimento (mesmo que isso não afete as metas)

Outro ponto, este mais delicado, são os problemas particulares. Um colaborador pode se sentir desmotivado por motivos que não estão diretamente ligados à empresa. É o caso de questões de saúde, familiares, ou mesmo de auto conhecimento. As vezes uma pessoa está descobrindo que quer largar tudo para abrir uma padaria. Neste caso, por mais íntegro que seja a pessoa, nada mais natural do que um desinteresse involuntário com as rotinas do time.

 

O que é motivação organizacional

Quando ressaltamos a importância de entender as particularidades de sua empresa ou mesmo dos funcionários, isso não quer dizer que descobrir fatores motivacionais seja o mesmo que encontrar uma agulha no palheiro.

É justamente o contrário. Ações a nível global devem ser tomadas para aumentar os níveis de engajamento e felicidade do time. Este é o conceito que chamamos de motivação organizacional, que analisa o comportamento do grupo como um todo, e não individualmente.

Por exemplo: em um time, que trabalha em conjunto para atingir uma meta, a motivação de todos que vai transformar os esforços em resultados, não de uma pessoa sozinha. Neste sentido, aumenta a importância de testes para identificar os denominadores comuns da equipe, assim como estabelecer uma cultura organizacional e os cuidados no recrutamento que isto exige. No tópico a seguir listamos algumas dicas.

 

7 Dicas para melhorar a motivação da minha equipe

 

Empoderamento dos funcionários

A liberdade da análise e tomada de decisão contribui não só para a agilidade da empresa. Influencia diretamente na motivação. Basta analisar o cenário oposto, onde o trabalho de um grupo inteiro é paralisado para aguardar a aprovação de um gestor.

 

Ética no trabalho

Ambientes divertidos são motivadores. Mas, nestes momentos, é muito comum ver pessoas “se passando”. O mesmo vale para relações entre líderes e liderados. Certos “puxões de orelha” podem até ser motivadores, mas desde que não se transformem em ofensa ou humilhação. A ética no trabalho não deve ser vista como um conceito chato, castrador, mas sim como o incentivo à relacionamentos saudáveis, onde o indivíduo se sente confortável perante o grupo.

 

Flexibilidade

Uma estratégia que pode ser testada na sua empresa é a flexibilidade. Este conceito pode ser inviável, ou complicado, em determinadas empresas. Mas sua aplicação é bem mais abrangente do que se imagina. Poder trabalhar de casa (ou de onde quiser) em determinados dias oferece mais qualidade de vida para o colaborador, que passa mais tempo com a família e não precisa enfrentar o trânsito enlouquecedor que se repete em tantos lugares.

 

Recompensas para metas plausíveis

Aqui temos duas dicas em uma só. Primeiro, porque recompensas sempre tem valor. E, retomando à pesquisa da pizza e do elogio, elas não precisam se resumir apenas em dinheiro. Uma simples mensagem do CEO pode fazer toda a diferença. Segundo, porque estipular metas plausíveis (nem tão fáceis e nem tão impossíveis) é uma das estratégias mais recomendadas para alavancar a moral da equipe.

 

Invista no seu colaborador

O aprendizado é altamente motivacional. Principalmente no momento em que vivemos, onde pessoas buscam cada vez mais por cursos e especializações sobre as mais diversas skills e plataformas. Por sinal, os cursos online são grande facilitadores para investir no desenvolvimento profissional (e pessoal) do colaborador. São econômicos e podem ser acessados de qualquer lugar.

 

Fit cultural e perfil comportamental

Esta é uma questão muito importante que muitas empresas insistem em deixar de lado. A cultura organizacional deve ser levada a sério. Sua importância vai muito além das pompas que isso representa. As vezes uma pessoa se desmotiva simplesmente porque não combina nem com o cargo, com a empresa, ou com os colegas de trabalho. E isso nem sempre é observado nas entrevistas. Contratar apenas por skill, e esquecer o perfil, muitas vezes é uma decisão fadada ao fracasso. Não só aumenta os níveis de turnover, como também pode gerar problemas de conflito na equipe.

 

Plano de carreira

Para finalizar: o bom e velho plano de carreira. Este tipo de medida contribui para que o funcionário tenha segurança de que tem um futuro na empresa, e obtenha uma noção mais exata de onde pode chegar. Mesmo em startups e pequenas empresas, que lidam com cenários imprevisíveis, o plano de carreira é viável, à sua maneira. Neste artigo falamos sobre os tipos de planos de carreira e como aplicar em diferentes cenários.

 

Gostou da leitura? Então você também pode se interessar sobre o nosso artigo sobre Qualidade de Vida no Trabalho.