Processo Seletivo Guia Completo

01-05-2021

Guia Completo do Processo Seletivo para o RH

Entenda o que é um processo seletivo e veja dicas de como realizar o passo a passo de todas as fases de recrutamento e seleção

 

Os posts mais comentados do Benefi são sempre aqueles relacionados como fazer um processo seletivo.

Por isso, preparamos aqui o Guia Completo do Processo Seletivo para o RH: veja dicas de como realizar o passo a passo de todas as fases de recrutamento e seleção.

Para você não se perder, olha o que vamos abordar aqui:

  • Conceito de processo seletivo;
  • Objetivos e a importância do recrutamento e seleção;
  • Principais etapas do processo seletivo;
  • Análise do currículo;
  • Dinâmica de grupo;
  • Como estruturar uma entrevista;
  • A importância de analisar o fit cultural;
  • Particularidades do recrutamento e seleção online.

 

Gostou?! Vamos lá, então!

 

 

 

Afinal, o que é um processo seletivo?

 

O processo seletivo refere-se a um conjunto de técnicas utilizadas para “filtrar” e escolher uma pessoa para ocupar determinada posição.

Através do processo seletivo é possível identificar se determinado indivíduo tem as qualidades e habilidades esperadas e exigidas pela organização.

E por que se chama “processo”? O termo “processo” é utilizado porque essa seleção acontece em diferentes etapas.

Porém, é importante destacar que nem todos os processos seletivos têm as mesmas etapas: ou seja, há uma variação, seja de acordo com empresa e, até mesmo, com o cargo.

 

 

Recrutamento e Seleção: quais são os objetivos?

 

Antes de falarmos sobre o passo a passo para criar um Processo Seletivo, vamos entender os objetivos dele.

O processo de Recrutamento e Seleção é um dos processos mais importantes de qualquer empresa e envolve diferentes técnicas, metodologias e etapas e vem se transformando nos últimos anos.

Encontrar o talento certo é fundamental para construir uma empresa que se diferencie no mercado.

Assim, Recrutamento e Seleção, como sugere o próprio nome, é formado de duas palavras que mostram o conceito do próprio processo, que são:

  • Recrutamento: responsável pela atração de candidatos para vagas de emprego disponíveis em uma organização.
  • Seleção: Uma vez que a vaga conquiste uma certa quantidade de candidatos durante o processo anterior, um ou mais candidatos serão identificados como os mais adequados para a posição durante a seleção.

 

 

A importância do Recrutamento e Seleção

 

O Sebrae pontua que escolher a pessoa certa para ocupar um cargo na empresa é fundamental, pois o grande objetivo é ter colaboradores que farão toda a diferença dentro da organização, independentemente do seu tamanho.

Assim, ter uma boa estratégia de recrutamento e seleção é fundamental para o sucesso de todas as organizações. Quando o processo de Recrutamento e Seleção é pouco eficaz, pode resultar em:

  • perdas de produtividade;
  • turnover;
  • prejuízos na experiência dos clientes da empresa;
  • aumento de custos no médio e longo prazo.

 

 

 

Principais etapas de um Processo Seletivo

 

No geral, os processos seletivos envolvem, principalmente, as seguintes etapas/fases.

 

 

Análise do currículo

 

A triagem dos currículos é uma etapa inicial que faz parte de qualquer processo seletivo.

Esta etapa serve para analisar se o perfil e a experiência do candidato estão de acordo com as expectativas e necessidades da organização.

Aqui é avaliado:

  • formação acadêmica;
  • experiência profissional;
  • cursos complementares;
  • conhecimento e domínio de idiomas, sistemas e softwares;
  • soft skills.

As soft skills são as habilidades comportamentais, sendo que a capacidade da pessoa em sentir, controlar e responder de forma assertiva às suas emoções é fundamental para o desenvolvimento dessas competências.

 

 

Dinâmica de Grupo

 

A dinâmica de grupo é uma fase muito comum e conhecida. Ela pode ser usada para observar e avaliar o comportamento dos candidatos na presença de outras pessoas.

Aqui, é possível identificar algumas características que o setor de RH está procurando, tais como:

  • Capacidade de competir;
  • Liderança;
  • Ser liderado;
  • Comunicação verbal;
  • Resolução de problemas.

 

 

Entrevista

 

Na fase de entrevista, o recrutador deseja conhecer os candidatos por meio de uma conversa. Obviamente que, para esta fase, as perguntas são previamente estruturadas e preparadas.

Porém, é possível que, ao longo da entrevista, novas perguntas surjam.

Apesar de cada entrevista ser estruturada de acordo com a cultura organizacional, o tipo de vaga e o perfil desejado, há algumas perguntas que podem ser comuns nesta fase.

Alguns exemplos:

  • Quais são seus pontos fortes?
  • Quais são as suas principais limitações profissionais?
  • Como você lida com a pressão por resultados?
  • Quais são os seus diferenciais para o trabalho?
  • Quais são suas metas profissionais para o longo prazo?

É muito importante que a pessoa que vai realizar a entrevista prepare, com antecedência, uma estrutura básica que irá seguir para todos os candidatos.

 

 

 

Como fazer uma entrevista de emprego

 

E, agora, chegou o momento que os colaboradores de RH têm bastantes dúvidas: como conduzir uma entrevista de emprego? Porém, seguindo algumas dicas, ficará muito mais simples fazer esse prévio planejamento.

 

 

Entender o perfil do cargo

 

Em primeiro lugar, é importante que o profissional que irá conduzir a entrevista de emprego entenda o perfil da vaga. É preciso conhecer sobre a área específica, assim como as funções correspondentes para o cargo.

 

 

Prepare o roteiro de perguntas

 

Como já pontuado anteriormente, as entrevistas aos candidatos não serão idênticas.

Uma forma eficiente é ter um roteiro de perguntas básicas que será feita para todos os candidatos.

Essas perguntas precisam fazer com que os candidatos sejam capazes de explicar todas as suas experiências profissionais, técnicas, acadêmicas e de relações humanas.

 

 

Estude o currículo de cada candidato

 

Aqui, é importante analisar detalhadamente o currículo de cada candidato e fazer notas de algumas perguntas que podem ser feitas baseadas neste currículo.

Essas perguntas precisam esclarecer as qualidades pessoais e habilidades profissionais do candidato.

Por exemplo: “Eu vi no seu currículo que você ficou três anos como gerente da Unidade X da empresa Y. Conte-me mais sobre essa experiência”. Ou “Eu vi que você fez intercâmbio para o Canadá. Você podia me contar um pouco mais como foi essa experiência? Como você lidou com uma cultura tão diferente, longe de familiares e de amigos?”.

 

 

Hora da entrevista

 

Na hora de começar a entrevista, é importante que você se apresente e explique sua função dentro da empresa. Além disso, caso outras pessoas também estejam participando desta fase, faça o mesmo.

Além disso, é interessante apresentar, de maneira muito resumida, como será o formato da entrevista e se haverá outras fases dentro do processo.

De maneira também breve, falar um pouco sobre a empresa, os valores, além de uma descrição do cargo e das funções.

Para quebrar o gelo, você pode pedir para que o candidato também se apresente, mas de maneira geral.

Passada essa fase de apresentações, pode-se iniciar a fase de perguntas básicas, mesclando-as com aquelas específicas para o candidato.

Além disso, o entrevistador precisa ir tomando notas das respostas ao longo da entrevista para que, quando for avaliar todos os candidatos, tenha informações suficientes para analisar e comparar.

O importante é que a entrevista seja fluida e esclarecedora. Obviamente que o entrevistado poderá sentir um pouco de nervosismo: mas é importante que o entrevistador crie um clima amistoso.

Outro ponto importante para se avaliar durante toda esta fase da entrevista é o fit cultural.

 

 

 

Afinal, o que é Fit Cultural?

 

Sabe quando falamos que algo deu match, deu liga?! Então, Fit Cultural está relacionado com isso.

Este conceito está associado com a afinidade de determinado candidato com à cultura organizacional de uma empresa.

Durante os processos de seleção, é comum que os recrutadores percebam que alguns candidatos têm mais sintonia com a cultura organizacional em detrimento de outros.

Desta forma, o Fit Cultural considera muitos outros aspectos para além do currículo, tais como:

  • aspectos culturais;
  • regras;
  • rituais;
  • comportamentos.

Saber avaliar o Fit Cultural também é importante para garantir contratações muito mais assertivas. Por isso, vale a pena o RH implementar esse conceito durante os processos de recrutamento e seleção.

 

 

E o Fit Funcional?

 

O Fit Funcional compreende as habilidades práticas e laborais necessárias para determinado cargo ou função, ou seja, é aquilo que pode ser descrito e consta no currículo.

Percebe-se, então, que o Fit Funcional pode ser aprendido através de treinamentos e cursos.

Já o Fit Cultural é algo mais intrínseco, ou seja, são características pessoais. Logo, nem sempre é fácil mudá-las ou adquiri-las. E é preciso que o Fit Cultural de um candidato esteja alinhado com a cultura organizacional da respectiva empresa.

Mas o que é cultura organizacional? Temos um post bem bacana sobre isso, o Guia Rápido de RH: o que é cultura organizacional. Vale a pena conferir.

 

 

Como aplicar o Fit Cultural durante os processos seletivos

 

O primeiro passo é fazer o mapeamento da cultura da sua empresa.

Já no segundo passo é necessário traçar o perfil do candidato que a empresa quer buscar.

Já na hora de definir qual é o Fit Cultural que a empresa procura, é importante considerar:

  • competências comportamentais;
  • valores;
  • objetivos de carreira.
  • Durante o processo seletivo, é importante realizar:
  • Análise do perfil comportamental dos candidatos;
  • Dinâmicas de grupos;
  • Entrevistas comportamentais;
  • Análise do histórico profissional dos candidatos.

 

 

Quais são os benefícios de avaliar o Fit Cultural durante o processo seletivo?

 

Contar com uma colaboradores alinhados aos valores da empresa gera enormes vantagens estratégicas para o negócio, tais como:

  • Contratações mais assertivas: Analisar o Fit Cultural aumenta a chance de encontrar um candidato mais aderente à vaga, não apenas em relação às exigências técnicas, mas também no sentindo de contribuir para os resultados do time e da empresa como um todo, de maneira sinérgica.
  • Aumento da produtividade: Como já abordado anteriormente, quando um profissional se identifica com os valores da organização, ele trabalha com mais satisfação. Essa satisfação faz com que a sua produtividade aumente, pois o colaborador fica muito mais motivado para fazer um trabalho mais efetivo e que colabore para os resultados organizacionais.
  • Retenção de colaboradores: No geral, quanto maior a satisfação e a identificação com as práticas da empresa, maior também será o tempo de permanência do colaborador na organização. Ou seja, usar o Fit Cultural pode diminuir o turnover de uma empresa.

 

Assim, utilizar esse conceito durante os processos seletivos, certamente trará benefícios para a organização, para as equipes, lideranças e para os resultados do negócio.

 

 

 

Recrutamento e Seleção online: funciona mesmo?

 

E quando o processo seletivo é online, será que funciona? Para responder de maneira direta: com certeza.

Muitas empresas ainda não tinham aderido ao processo de Recrutamento e Seleção online mas, com a pandemia, tiveram que repensar suas estratégias de Recursos Humanos.

Assim, existem alguns softwares disponíveis no mercado que permitem realizar os processos de Recrutamento e Seleção de funcionários de forma online.

Desta forma, é possível divulgar as vagas em determinados locais selecionados (ou colocar de maneira geral para um maior alcance) e escolher os currículos de acordo com os perfis desejados.

Alguns destes softwares oferecem uma diversidade de ferramentas, tais como:

  • testes online de habilidades técnicas e/ou cognitivas como, por exemplo, proficiência em outros idiomas ou raciocínio lógico;
  • Filtrar os candidatos por determinadas habilidades;
  • Entrevistas por videoconferência ao vivo;
  • Programação de entrevistas gravadas;
  • Geração de relatórios automáticos para otimizar e qualificar a tomada de decisão.

 

 

Principais vantagens do formato online

 

Quando o assunto é Recrutamento e Seleção online, há diversas vantagens para as empresas como, por exemplo:

  • Economicidade: como todo o processo (ou grande parte dele) é feito online, há muita economia, além de softwares específicos para isso que podem ser integrados a grandes plataformas, tais como Google for Jobs, Indeed, Catho, assim como redes sociais como o LinkedIn, otimizando todo o processo com o melhor custo x benefício;
  • Alcance geográfico maior: quando o Recrutamento e Seleção é realizado online, a tendência é que candidatos de outras cidades, estados (e, até países) fiquem interessados em participar, pois sabem que não precisarão fazer investimentos em deslocamentos para participar do processo durante a fase inicial;
  • Agilidade: como o uso de um software especializado, as candidaturas não chegam por e-mail, mas dentro da plataforma, organizados automaticamente através de uma interface amigável. Além disso, há uma maior agilidade, diminuindo o tempo entre a abertura de vaga e a efetivação do candidato como funcionário;
  • Assertividade: alguns softwares utilizam inteligência artificial para analisar centenas de características dos candidatos e, com isso, ranquear de acordo com maior aderência à vaga descrita.

 

Gostou do nosso Guia Completo do Processo Seletivo para o RH? E que tal continuar com a gente? Separamos aqui outros 5 (cinco) posts que, certamente, vão te interessar:

 

Test DISC: entenda o que é, como funciona e quais são as suas vantagens

Diversidade e inclusão nas empresas: uma nova demanda do RH

Absenteísmo: o que é e como combatê-lo na minha empresa

Como melhorar o clima organizacional na minha empresa?

Cultura organizacional e trabalho remoto

 

E para você se manter sempre atualizado e acompanhando as novidades sobre RH e Gestão de Pessoas, continue seguindo o Benefi.