diversidade nas empresas

24-07-2020

Diversidade nas Empresas: As Principais Tendências e Como promover um ambiente inclusivo

Saiba porque a diversidade é um tema urgente e encontre dicas de como iniciar uma mudança positiva e efetiva nas empresas.

 

A busca pela diversidade vem recebendo mais atenção das empresas mundo afora. Mesmo assim, trata-se de uma caminhada que apenas começou. Ainda temos um longo caminho pela frente até poder dizer que o mercado, tanto global como nacional, oferece as mesmas oportunidades de recrutamento e promoção para pessoas de todos os perfis.

O post de hoje é dedicado a este tema que podemos definir como um dos mais urgentes e relevantes da atualidade. Seguindo conosco na leitura, você vai entender:

  • O que é a diversidade
  • O que ela abrange
  • Dados que comprovam que sua empresa já deveria ter iniciado uma política de diversidade ONTEM
  • Além de dicas práticas sobre como incluir a diversidade em empresas

Vamos começar?

 

Afinal de contas, o que significa diversidade?

De uma forma bem direta, podemos dizer que é o oposto do padrão.

Dentro do contexto mercadológico, ter diversidade nas empresas significa olhar para o quadro de pessoas e ver… PESSOAS!, e não um grupo homogêneo do mesmo gênero, classe e opção sexual.

Mas vamos ampliar um pouco. Pois a diversidade, embora provoque dúvidas, é bem literal. Uma empresa que possui diversidade no seu ambiente de trabalho, na prática, emprega pessoas com diversas características/perfis, o que abrange:

  • gênero
  • etnias
  • opção sexual
  • idade
  • religião
  • culturas
  • classe social
  • nacionalidades
  • educação
  • necessidades especiais

Entre outros! A lista é extensa, e não poderia ser diferente. Afinal, nós, seres humanos, somos únicos comparados uns aos outros. E abrir as portas para estas singularidades pode resultar em inúmeros benefícios para sua empresa. Tanto morais quanto práticos.

 

Como é a realidade no Brasil

Bom. Vamos começar por um dado que merece, no mínimo, dupla interpretação. Segundo Kantar Inclusion Index, índice global de inclusão e diversidade no trabalho, o Brasil é o 7º país mais inclusivo.

Em um primeiro momento, este dado pode provocar certo alívio. Mas é muito importante reforçar o que falamos no início: ainda temos uma longa estrada pela frente.

Por exemplo: o Canadá, país que lidera o ranking, chegou ao topo, entre outros motivos, por sua representatividade adequada de gênero entre cargos seniores (mais de 40% do sexo feminino). O Brasil, segundo a PNAD Contínua (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua – realizada pelo IBGE) é composto por 51,8% de mulheres. Sendo o que o próprio IBGE afirmou, em 2018, os cargos gerenciais eram ocupados 39,1% pelas mulheres. Ou seja, ainda não existe uma paridade percentual.

Em relação às etnias, os dados são mais preocupantes. Uma pesquisa que analisou as 500 empresas de maior faturamento no Brasil, constatou que os negros, embora ocupem 58% dos cargos de aprendizes e trainees, representam apenas 6,3% dos cargos de gerência.

 

Alguns dados interessantes sobre a diversidade no trabalho

O blog TalentLyft divulgou em uma postagem 5 estatísticas sobre diversidade no trabalho bem interessantes. Dados que mostram o lado de empresas que já possuem um ambiente de diversidade, provando o quão importante, e benéfica, foi esta decisão. Aqui vamos resumi-las:

  • Segundo o Boston Consulting Group (BCG), empresas que possuem diversidade em suas equipes de gerenciamento apresentam uma receita 19% maior
  • Segundo Josh Bersin, empresas inclusivas têm 1,7 vezes mais chances de serem líderes em inovação no seu mercado
  • Segundo People Management, a diversidade no trabalho leva a uma melhor tomada de decisão
  • Segundo o Glassdoor, 67% das pessoas que buscam um novo trabalho consideram a diversidade importante ao analisar propostas de emprego
  • Segundo a McKinsey, empresas racial e etnicamente diversas performam 35% mais

 

Os benefícios da diversidade no trabalho

diversidade nas empresas benefícios

Incentivar a diversidade nas empresas proporciona um ambiente de trabalho mais justo e, como você viu acima, produtivo, assertivo, atraente e até mesmo lucrativo. Quando analisamos no contexto das equipes, a diversidade traz ainda outras vantagens.

A criatividade e a inovação também são constantemente associadas à diversidade. O que não é difícil de entender: temos novas ideias, encontramos novas soluções, com base no que vivenciamos, em nossas experiências, estudos e observações.

Quando reúne pessoas de diferentes perfis, estilos e origens, sua equipe ganha um poder imenso de troca, o que, em outras palavras, é um Up e tanto na capacidade de fazer diferente.

Além disso, a diversidade também pode trazer outros bons efeitos para sua empresa:

Enfim. Trazer a diversidade faz da sua empresa um lugar melhor.

 

Como implementar a diversidade na sua empresa

Esperamos ter te convencido de como é importante incentivar a diversidade e inclusão nas empresas e no ambiente de trabalho. Agora é hora de pôr a mão na massa, vamos lá?

 

Comece pelo RH

O RH é o responsável pelas contratações e demissões dentro de uma empresa. Se você quer implementar uma cultura inclusiva, deve começar por aí. Isso vale tanto em relação a avaliar se os responsáveis pelo setor estão abertos para esta decisão (infelizmente, o preconceito está em todo lugar), mas principalmente em munir estes profissionais de ferramentas que os possibilitem encontrar a pessoa certa para a vaga certa, e criar uma estratégia para que a inclusão seja benéfica tanto para a empresa quanto para o próprio candidato. Falaremos melhor sobre isso no próximo tópico.

 

Gestão por competências

Empresas que adotam a Gestão por Competências levam em conta o perfil comportamental de um candidato no processo seletivo. Ou seja, valorizam as competências de um indivíduo – conjunto de habilidades, conhecimentos e experiências que possibilitam que realize determinada tarefa com facilidade – em relação às suas skills técnicas.

Porque estamos falando isso? Porque com este tipo de técnica, você valoriza aquilo que uma pessoa tem de melhor, suas habilidades inatas, e não apenas cursos ou outros ítens no currículo que somente pessoas com maior poder aquisitivo têm acesso.

Obviamente você vai levar todo o currículo em consideração, mas profissionais de RH vêm associando a gestão por competências a uma redução considerável nos índices de turnover. Afinal, no Brasil, 90% das demissões são por motivos comportamentais, e não técnicos.

 

Inclua a diversidade em todos os níveis

Você viu em alguns dados neste post que as empresas estão adotando aos poucos uma política de diversidade. Mas, para que a mudança seja profunda, e fique evidente para a equipe, deve atingir todos os níveis de cargos. Dos iniciais, como é o caso dos aprendizes e trainees, aos cargos de liderança, coordenação, gerência, e daí pra cima.

 

Crie uma política

Isso deve ajudar até mesmo o RH. Crie uma política de normas e faça campanhas de conscientização. Talvez seja necessário chamar a atenção de colegas, ou mesmo tomar decisões mais drásticas. Afinal, um membro que proporciona o mal estar de alguém na equipe afeta a produtividade de todo o time.

 

Dica bônus: Gestão horizontal

Recentemente, publicamos um post chamado “Gestão horizontal: como funciona e quais grandes empresas já utilizam”.

Organizações que adotam esta formatação, criam ambientes mais motivados e abertos ao diálogo, onde as decisões são tomadas em conjunto, e não por meio de hierarquias. Ficou interessado? Então clique aqui para ler quando quiser.

Acesse o Benefi e encontre os melhores conteúdos sobre gestão de pessoas e recursos humanos.