diversidade e inclusão nas empresas

12-02-2021

Diversidade e inclusão nas empresas: uma nova demanda dentro do RH

Neste artigo vamos abordar as diferenças entre diversidade e inclusão, e quais os desafios do RH em implementar estes conceitos nas empresas.

 

Diversidade e inclusão são termos que hoje fazem parte do nosso cotidiano.
Marcam presença forte nas discussões em mídias sociais, campanhas publicitárias, programas de TV, vídeos no Youtube, e, claro, no mercado de trabalho.

Mas embora o Brasil ocupe a 7ª posição no índice global de inclusão e diversidade no trabalho, o Kantar Inclusion Index, ainda existem muitos desafios e barreiras a serem vencidas para que os conceitos rompam a barreira do discurso bonito e se tornem, de fato, algo normal no dia a dia corporativo.

No texto de hoje, vamos abordar os desafio do RH para ampliar a diversidade e inclusão em suas empresas.

 

 

 

Você sabe a diferença entre diversidade e inclusão?

 

Embora um complemente o outro, diversidade e inclusão não podem ser tratados como sinônimos. A diferença é sutil, mas fundamental para implementação das políticas nas empresas.

Para explicar, nos inspiramos no artigo da Mais Diversidade, consultoria de RH especializada no tema:

  • A diversidade está ligada à representação demográfica. Como, por exemplo, o percentual de negros, mulheres, pessoas com deficiência, profissionais LGBT e de diferentes gerações dentro de uma empresa;
  • Já a inclusão, é a garantia de que estas mesmas pessoas tenham chances de desenvolvimento dentro deste ambiente. Ou seja, são promovidas, ocupam cargos de gestão e de maior prestígio, assim como qualquer outro profissional, e se sentem confortáveis onde estão.

Vamos nos aprofundar um pouquinho mais.

 

 

A abrangência da diversidade:

 

A diversidade, como palavra, é o oposto da uniformidade. E qual é o padrão dentro da maioria das empresas, principalmente no que diz respeito aos maiores cargos?

Sem rodeios, e nem receio de errar, podemos afirmar que existe uma predominância de homens brancos. Mas podemos ir mais afundo, não é? Afinal, a idade, opção sexual, classe social, e até mesmo religião, também não varia muito.

Na prática, uma empresa que possui diversidade no seu ambiente de trabalho, emprega pessoas com diversas características/perfis. O que abrange:

  • gênero
  • etnias
  • opção sexual
  • idade
  • religião
  • culturas
  • classe social
  • nacionalidades
  • educação
  • necessidades especiais

Entre outros! Afinal, a diversidade não limita nada, ela só inclui.

 

 

E a inclusão social?

 

A inclusão social já é um termo mais abrangente, que não se restringe ao ambiente de trabalho. Trata-se do conjunto e normas que combatem a exclusão de grupos sociais aos benefícios da vida em sociedade.

Essa tal exclusão, pode ocorrer por motivos de idade, etnia, religião, deficiência, classe e nível de educação formal. Outro ponto bem importante, é que pode ocorrer de maneira escancarada ou velada.

 

 

 

Diversidade e inclusão no mercado brasileiro:

 

Como nos referimos no início do texto, o Brasil ocupa uma posição relativamente elevada no ranking da Kantar. Mas isso não significa, nem de longe, que estamos falando sobre uma situação resolvida.

Por exemplo:

No Brasil, somente 34% dos estudantes universitários são negros. Sendo que 56,10% da população se declara negra no país.

Somando-se a isso, conta o fato de que, entre jovens negros de 21 anos, 18% estão estudando ou terminaram a sua graduação. Muito menos do que os 36% de brancos na mesma faixa etária. (Agência Brasil)

Segundo dados de 2015, no grupo dos 10% mais pobres do país, 76% são negros. E 32,9% das pessoas pretas ou pardas ocupam a linha da pobreza indicada pelo Banco Mundial.

A situação das mulheres também ainda passa longe da igualdade no mercado de trabalho.

Segundo a PNAD Contínua (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua – realizada pelo IBGE), o Brasil é composto por 51,8% de mulheres. Acontece que, até 2018, elas ocupavam apenas 39,1% dos cargos gerenciais.

Em sua edição de Julho de 2019, a revista Você RH mostrou uma estimativa de que, no Brasil, quanto mais alto a hierarquia do quadro, menor é o índice de mulheres. No quadro executivo, apenas 14%. Já no conselho administrativo, o índice cai para 18%.

 

 

Público LGBTQIA+ precisa lidar com o preconceito e insegurança

 

Achamos muito legal o relato de Alexandre Abreu, profissional de RH, para a revista Você RH. No artigo, ele relembra sua insegurança ao participar de entrevistas de emprego no início da carreira e da importância de não esconder sua sexualidade. Segundo Alexandre, é justamente a partir daí que ele consegue sentir como a companhia lida com a Diversidade. “O primeiro passo para ser feliz e bem-sucedido em sua carreira, é escolher uma organização que jogue junto com você, que a Cultura Organizacional se conecte com a sua.”

 

Entendendo a sigla LGBTQIA+

Para falar de diversidade e inclusão, é fundamental nos aprofundarmos na sigla LGBTQIA+. O movimento, que antigamente era conhecido como GLS, luta pelos direitos de inclusão de pessoas de diversas orientações sexuais e orientação de gênero.

Ao longo dos anos, o movimento passou a incluir pessoas não heterossexuais e não cisgênero. E a partir daí as novas letras foram incluídas na sigla.

Respectivamente, elas representam Lésbicas, Gays, Bissexuais, Transexuais, Queer, Intersexo, Assexual. Sendo que o + representa os outros grupos de variações sexuais e de gênero. Se você ainda tem dúvidas sobre o significado de cada um destes termos, recomendamos este artigo.

 

 

Pessoas com deficiência e beneficiários reabilitados pela Previdência Social possuem garantias

 

A partir da determinação legal contida no art. 93 da Lei nº 8.213, de 1991, empresas de qualquer natureza com 100 ou mais empregados devem preencher entre 2% a 5% dos seus postos de trabalho com Pessoas com Deficiência (PcD) e/ou beneficiários reabilitados pela Previdência Social.

 

 

 

Sinais de mudança: empresas que possuem diversidade em suas equipes de gerenciamento apresentam uma receita 19% maior

 

Fazendo um contraponto, ou melhor, um incentivo para que esta realidade mude no país, temos uma uma série de dados e pesquisas que reforçam a importância de construir um ambiente mais diverso e inclusivo.

Um bom exemplo disso é o estudo do Boston Consulting Group (BCG), que sugere que o aumento da diversidade entre os líderes de equipe resulta em mais inovação e aumenta a performance financeira. As empresas que relataram um índice de diversidade acima da média em suas equipes de gestão também relataram uma receita com inovação 19% maior do que a de empresas com diversidade de liderança abaixo da média.

Mas as vantagens da diversidade e inclusão nas empresas não param por aí:

  • Segundo Josh Bersin, empresas inclusivas têm 1,7 vezes mais chances de serem líderes em inovação no seu mercado;
  • Este artigo da People Management mostra que diversidade no trabalho leva a uma melhor tomada de decisão;
  • Já no Glassdoor, descobrimos que 67% das pessoas que buscam um novo trabalho consideram a diversidade importante ao analisar propostas de emprego.
  • Para finalizar, segundo a McKinsey, empresas racial e etnicamente diversas performam 35% mais.

 

 

 

Um novo subprocesso de dentro do RH

 

Embora seja evidente que muitas empresas vêm buscando se reestruturar para proporcionar um ambiente diverso e inclusivo, este não é um desafio assim tão simples. Tanto que, como vimos ao longo do texto, o cenário ainda está longe de ser de igualdade.

Pensando nisso, convidamos Pablo Ladeira, Psicólogo organizacional e Gestor de RH na Escola Recursos, para compartilhar sua experiência de longa data implementando treinamentos de diversidade e inclusão para recrutamento e seleção.

Eles nos conta que ao longo dos anos, estes processos foram evoluindo, e hoje já se apresentam como um subprocesso de RH. Nas grandes empresas, inclusive, já existem setores direcionados para cuidar da diversidade e inclusão em seu quadro de pessoas.

Com a evolução da sociedade, as discussões de igualdade vem sendo implantada dentro das empresas. E, segundo Pablo, isso foi fortemente impulsionado em 2020, período em que, além da pandemia, ficou marcado por inúmeros episódios relacionados à desigualdade, principalmente o racismo.”

Pablo ainda afirma que esta mudança comportamental no mundo corporativo surge para “acompanhar uma evolução da sociedade, que hoje intensifica a luta por igualdade”.

 

 

5 desafios do RH para trazer diversidade e inclusão dentro das empresas

 

Pablo defende que é responsabilidade do profissional de RH mudar este cenário que ainda é realidade na maioria das empresas no Brasil.

Aqueles que comprarem esta luta, precisam, em primeiro lugar entender a realidade dos recortes trabalhados nos processos de diversidade em inclusão.

Pablo lista o que vem acontecendo nos 5 principais:

  • Racial: é luta pela igualdade racial. A busca está em oferecer oportunidades, não só de trabalho, mas também de crescimento dentro do mercado, para a população de negros e índios;
  • Deficientes físicos: mesmo obrigadas por lei, muitas empresas não respeitam as normas de inclusão para deficientes físicos. Seja por não se adequarem à porcentagem correta, ou por não preparar sua equipe e nem o espaço físico para receber estes profissionais;
  • Equidade de gênero: a luta por igualdade de gênero hoje se concentra nos cargos de maior escalão. Embora sejam maioria nos cargos de entrada, como estagiário e jovem aprendiz, as mulheres ainda enfrentam dificuldades para conseguir chegar ao topo no mercado de trabalho;
  • LGBTQIA+: aqui, a maior dificuldade é bem clara – se concentra na inclusão de pessoas trans dentro das empresas;
  • Egressos do sistema prisional: a responsabilidade da comunidade e da sociedade em proporcionar a ressocialização para pessoas que cumpriram pena por algum tipo de crime.

Para os profissionais de RH que querem participar desta mudança e superar os desafios apontados, Pablo recomenda: “Estude! Conheça pessoas diversas, ouça histórias diferentes da sua. Com isso, você abre espaço para a diversidade na sua vida e na sua empresa”

 

Como a diversidade e inclusão é tratada na seu trabalho? Este é um desafio que começa dentro de cada um de nós. Leia sobre o tema, aprenda, faça sua parte e lute contra a intolerância.

 

Aqui separamos alguns artigos que você também pode gostar:

Diversidade nas Empresas: As Principais Tendências e Como promover um ambiente inclusivo

O que é empowerment e quais são os benefícios para a empresa

Comunicação assertiva e seus impactos para os negócios

Gestão Por Competências: o que é e boas práticas – Guia Rápido de RH

Como a cultura do cancelamento pode afetar as organizações?

 

Acesse o Benefi e mantenha-se informado sobre as principais tendências no mercado de RH.