como demitir um funcionário

26-03-2021

Como demitir um funcionário: o que fazer e o que NÃO fazer

Como demitir alguém? Veja dicas do que fazer e do que não fazer. Saiba como se comportar no momento de demitir um funcionário na empresa.

 

Quem trabalha no setor de Recursos Humanos (RH), no geral, encara a necessidade de demitir outros colaboradores como uma atividade extremamente desafiadora e complexa.

Porém, assim como outros processos, faz parte da rotina do RH. Mas é possível executar essa tarefa de maneira muito mais humanizada.

Para ajudar o RH com dicas práticas para este momento, o post de hoje é sobre como demitir um funcionário: o que fazer e o que não fazer.

Vamos lá?!

 

 

 

Processo de demissão e demissão na pandemia: o que o RH precisa saber

 

Em um post anterior chamado de “Processo de demissão: como conduzir de maneira ética e humana pelo RH”, trouxemos um panorama com os tipos de demissão de acordo com a nova legislação.

Dentre eles, falamos sobre demissão com justa causa e demissão sem justa causa, além de mais duas categorias. Vale a pena conferir.

Já em outro post, aprofundamentos a questão da demissão na pandemia, além dos principais direitos e cuidados. Salve esse post para ler com atenção, pois tem muita informação atualizada para quem trabalha no setor de RH.

Esses posts são bem complementares ao conteúdo de hoje, que entrega dicas do que fazer e do que não fazer no processo de demissão.

 

 

 

Como demitir um funcionário: dicas do que fazer para desligar um colaborador

 

Vamos ver algumas dicas práticas o que pode ser feito para demitir um funcionário de maneira mais ética e mais humanizada.

 

 

Dica 1: Não há momento certo, mas há momento oportuno

 

O profissional de RH precisa desenvolver certa sensibilidade para gerir, de maneira mais empática, o momento da demissão.

É muito comum perguntarem sobre qual o melhor momento para se demitir: por exemplo, antes das grandes festas de fim de ano como Natal ou Ano Novo ou depois?

Na verdade, não há um momento certo. É necessário ter um pouco de sensibilidade para tentar conciliar às necessidades da empresa com empatia ao funcionário. Alguns acreditam que demitir antes de alguma data grande comemorativa, como é o caso do Natal ou Ano Novo, é mais adequado par evitar que o colaborador faça determinados tipos de gastos acreditando que continuará no emprego.

Para outros, demitir após estas datas comemorativas é o mais correto, para não “estragar” as comemorações. Avalie as necessidades da empresa, pois não há fórmulas mágicas.

Em relação ao horário: há muita divergência também sobre o assunto. Alguns especialistas pregam que deve ser logo no início do expediente, enquanto outros explicam que perto do horário do início do almoço ou no fim do expediente é melhor para ter mais discrição neste momento que é tão delicado.

 

 

Dica 2: Planeje

 

Óbvio que o momento da demissão não é para ser confundido com avaliação de desempenho. A comunicação precisa ser direta, mas isso não significa que precisa ser impessoal.

Contextualize o motivo da demissão e levante os principais pontos profissionais porque ela aconteceu. Para isso, é necessário fazer um planejamento e um roteiro prévio.

Além disso, para evitar maiores constrangimentos, é importante verificar que não tem nenhum impedimento legal para a demissão do funcionário, como a estabilidade provisória.

Obviamente que a estabilidade provisória não é um “escudo” que impede que o funcionário seja demitido. Porém, no caso de a demissão ser sem justa causa, o empregador deverá arcar com o pagamento das verbas rescisórias devidas, além das indenização correspondente ao pagamento do salário integral durante o período de estabilidade.

 

 

Dica 3: Marque uma reunião com o colaborador

 

É importante ter um momento privado e particular para a comunicação da demissão.

Por isso, é fundamental convocar uma reunião com o colaborador que será demitido. O ideal é que o líder direto esteja presente, assim como um colaborador do RH.

A presença do líder direto demonstra respeito ao colaborar, enfatizando que aquele processo não é apenas um ritual burocrático.

 

 

Dica 4: Seja cordial, mas objetivo

 

É preciso comunicar de maneira objetiva, sem esquecer a cordialidade.

Não faça muitos rodeios até chegar ao assunto principal que é a demissão. Isso pode causar stress e confusão na compreensão da mensagem.

Assim, explique de forma clara os fatores profissionais que pesaram para a demissão.

 

 

 

Como demitir um funcionário: dicas do que não fazer

 

Além do que fazer neste momento, é importante saber o que não fazer.

 

 

Não peça desculpas

 

Evite pedir desculpas, pois isso pode passar uma mensagem errada para o colaborador de que você é contrário à demissão.

Um outro tipo de comentário que não deve ser feito durante a demissão são frases como “aproveite esse tempo para refletir”.

 

 

Não leve para o lado pessoal

 

Sabemos que muitas pessoas acabam criando laços no ambiente de trabalho e isso é muito saudável.

Mas, no momento da demissão, é fundamental deixar claro que essa é uma decisão profissional da organização e não uma escolha pessoal do RH ou do líder direto.

Por isso, utilize justificativas do âmbito profissional e não faça comentários pessoais, tais como: “Eu, pessoalmente, não teria escolhido você”; “Eu também acho que você não está apto para esta função”; dentre outras.

Sempre que possível deixe claro que essa é uma decisão organizacional.

 

 

Não demita sozinho

 

Por mais que a comunicação da demissão precise ser um momento reservado para não gerar exposição desnecessária para o colaborador que será demitido, não se recomenda que a demissão seja comunicada apenas por uma pessoa.

O ideal é que alguém do RH esteja presente juntamente com o líder direto. No caso dessa impossibilidade, é importante ter duas pessoas neste momento, para além do funcionário que será demitido.

 

 

 

Demissão remota: Qual a melhor maneira para ser feita?

 

Com a adesão, por parte de muitas empresas, à modalidade home office, muitas vezes o RH precisou adaptar o processo de demissão para esse formato.

Sempre que for possível, é mais empático fazer a comunicação da demissão presencialmente.

Porém, sabe-se que em diversos contextos a demissão via remota é uma realidade, mas isso não significa que ela precisa ser menos humanizada.

Mas isso já é assunto para outro post.

 

Quer continuar com a gente? Separamos aqui outros 5 (cinco) posts que, certamente, vão te interessar:

Absenteísmo: o que é e como combatê-lo na minha empresa

Diversidade e inclusão nas empresas: uma nova demanda do RH

Resiliência no trabalho: como praticá-la?

Como melhorar o clima organizacional na minha empresa?

Cultura organizacional e trabalho remoto

 

E para você se manter sempre atualizado e acompanhando as novidades sobre RH e Gestão de Pessoas, continue seguindo o Benefi.